São Paulo

São Paulo, que é também conhecido como o Apóstolo Paulo, Saulo de Tarso ou Paulo de Tarso, foi um dos mais influentes escritores do cristianismo primitivo, sendo responsável pelas cartas e epístolas que compõem uma parte muito significativa do Novo Testamento. A influência que exerceu no pensamento cristão, chamada de "paulinismo", foi fundamental por causa do seu papel como proeminente apóstolo do Cristianismo durante a propagação inicial do Evangelho pelo Império Romano. Nascido Saulo, nome pelo qual era conhecido antes da sua conversão, dedicara a sua vida à perseguição dos primeiros discípulos de Jesus na região de Jerusalém por acreditar que eram blásfemos que iam contra Deus.

De acordo com a Bíblia, foi durante uma viagem entre Jerusalém e Damasco, numa missão para que, encontrando fiéis por lá, "os levasse presos a Jerusalém", que Saulo teve uma visão de Jesus envolto numa grande luz. Jesus ter-lhe-á perguntado: "Saulo... Saulo, porque me persegues?". Esse terá sido o momento da sua conversão.

Durante esse momento da sua conversão, Jesus pediu a Saulo que fosse para a cidade de Damasco e esperasse. Então apareceu a Ananias numa visão e pediu que ele fosse até a "rua que se chama Direita" (que ainda hoje existe e que atravessa a cidade-velha de leste a oeste) e que lá perguntasse, "na casa de Judas por um homem de Tarso, chamado Saulo". Ananias protestou dizendo que Saulo anadva a perseguir os cristãos, mas Jesus disse-lhe que Saulo era "um vaso escolhido para levar o Meu nome perante os gentios e os reis, bem como perante os filhos de Israel". Ananias foi então ao encontro de Saulo e apôs as suas mãos sobre ele, como lhe havia sido ordenado. Houve escamas que caíram dos olhos de Saulo e a sua vista voltou ao normal. Saulo pediu a Ananias que o batizasse e asumiu o nome de Paulo.

Paulo foi um dos mais proeminentes líderes do nascente cristianismo. Como era também cidadão romano, possuía uma situação legal privilegiada, o que lhe permitiu uma grande disseminação da Fé. A conversão de Paulo mudou radicalmente a sua vida. Com as suas atividades missionárias e obras, Paulo acabou por transformar as crenças religiosas e a filosofia de toda a região da bacia do Mediterrâneo por onde viajou disseminando a palavra de Cristo, tendo atravessado tempestades e, inclusivamente, naufragado uma vez próximo da ilha de Malta.

A sua liderança, influência e testemunho levaram à formação de comunidades dominadas por grupos gentios que adoravam o Deus de Israel, pois aderiam ao código moral judaico, mas não cumpriam o ritual e as obrigações alimentares da Lei judaica.

Treze das epístolas do Novo Testamento são atribuídas a Paulo, embora exista contestação de autoria de sete delas. Santo Agostinho desenvolveu a ideia de Paulo que a salvação é baseada na fé e não nas "obras da Lei".