São Tiago

Vida de São Tiago

São Tiago Maior, também chamado São Tiago de Compostela (martirizado em 44 d.C.), foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. Foi santificado e designado São Tiago Maior para se poder diferenciar de outros santos de nome Tiago, como o apóstolo São Tiago Menor, e ainda São Tiago, o Justo.

Tiago era filho de Zebedeu e de Salomé, uma das mulheres que seguiam Jesus na sua pregação, que O acompanharam até à cruz e, na manhã da Ressurreição, acorreram para O ungir.

Tiago e o seu irmão João foram chamados por Jesus quando estavam a consertar redes com o seu pai nas margens do mar da Galileia. Tiago tinha um carácter muito resoluto e generoso. Quando o Senhor o chamou não duvidou e deixou tudo.

Tiago, Pedro e João seriam, de resto, os primeiros a abandonar tudo para seguirem Jesus como seus discípulos, tendo sido dos seus mais próximos colaboradores, ao participarem na Transfiguração, na agonia de Cristo no Monte das Oliveiras. 

No evangelho de Mateus, conta-se que a mãe de ambos, Tiago e João, Salomé, em seu orgulho materno, pediu a Jesus que seus dois filhos, Tiago e João, fossem colocados um à direita e outro à esquerda, no Reino de Deus, ao que Jesus objetou:"Vós não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que eu hei de beber?" Os apóstolos responderam: "Podemos". "Pois bem, isso é verdade, concluiu Jesus, mas dar-vos o primeiro lugar no Reino, isso depende do meu Pai, que está no céu".

Segundo São Marcos, Tiago e João foram apelidados por Jesus de «Boanerges», isto é, Filhos do trovão. Isto estava associado à sua índole belicosa e à do seu irmão João. Existe um episódio concreto em que estando Jesus a chegar com a sua comitiva à terra dos samaritanos, estes lhe interditaram a entrada. João e Tiago viram neste fato, uma afronta a Cristo e exprimiram sua indignação com estas palavras: "Queres, Senhor, que mandemos cair fogo do céu sobre esta cidade, para consumi-la?" Jesus, porém repreendeu-os dizendo: "O Filho do Homem não veio para perder, mas para salvar as almas".

Tiago é citado entre as testemunhas da terceira aparição de Cristo após a sua morte e ressurreição, nas margens do lago de Tiberíades, pouco mais se sabendo acerca sua vida.

A última aparição no texto bíblico é aquela em que é descrito que terá o primeiro apóstolo a morrer, mandado decapitar, em Jerusalém, por ordem de Herodes Agripa I, rei da Judeia, por volta do ano 44 d.C.. É o único apóstolo cuja morte vem narrada na Bíblia, nos Actos dos Apóstolos, onde se pode ler: "Ele (Herodes) fez perecer pelo fio da espada Tiago, irmão de João".

Muitos são os que crêem que São Tiago tenha visitado a província romana da Hispania e pregado a doutrina cristã, logo após o episódio de Pentecostes. Na cidade de Saragoça, teria presenciado uma aparição de Maria, mãe de Jesus, que ainda vivia. Tal aparição, em cima de um pilar, o que está na génese do culto de Nossa Senhora do Pilar. Devido ao insucesso em evangelizar os pagãos da Península Ibérica, Tiago teria regressado à Judeia, onde foi martirizado como descrito nos Actos dos Apóstolos. Os locais que terá passado incluem a Galiza, na Espanha e Guimarães e Rates na Póvoa de Varzim. Muitos acreditam que, após a sua morte, os seus restos terão sido transportados para o lugar Compostela, na Galiza, tendo, mais tarde, nesse local, sido erguida uma Catedral da localidade, que em sua honra, foi renomeada Santiago de Compostela.

Santiago Mata-Mouros

De acordo com algumas descrições, Santiago terá aparecido miraculosamente em diversos combates travados em Espanha durante a Reconquista Cristã -e.g. Batalha de Clavijo, em 844 - sendo também, por vezes, designado Matamoros (Mata-Mouros). "Santiago y cierra España!" foi desde então o grito de guerra dos exércitos espanhóis. Santiago foi também protetor do exército Português até à crise de 1383-1385, altura em que o seu brado foi substituído pelo de São Jorge.

Mais tarde, o escritor Cervantes registou, no seu Don Quixote de la Mancha, que Santiago Matamoros é um dos mais valorosos santos e cavaleiros que o Mundo alguma vez teve; foi dado a Espanha por Deus, como seu patrono e para sua protecção.

A Ordem de Santiago

No contexto da Reconquista, a Ordem Militar de Santiago foi fundada precisamente para combater os muçulmanos, e a pertença à Ordem tornou-se uma grande dignidade. Mais tarde dividir-se-ia em dois ramos, um em Espanha, e o outro em Portugal. 

 

(adaptado da Wikipedia)